Eu e o meu irmão na nossa adolescência sofremos imenso com os pontos negros. Temos apenas dois anos de diferença e toda a nossa adolescência ficou marcada pelos pontos negros e pela acne. Foi um flagelo de tratamentos sem resultados práticos e anos de repressão devido às crateras que tínhamos no rosto. Até as miúdas fugiam de nós. Foi uma altura difícil, mas que felizmente ultrapassamos bem.